05/2021

Valéria Kumizaki e Rosângela Santos seguem em busca de vagas para os Jogos de Tóquio

Atletas do Time Ajinomoto competiram neste final de semana em Portugal e na Polônia

A corrida pelas vagas para os Jogos Olímpicos segue a todo vapor e, neste último final de semana, duas integrantes do Time Ajinomoto estiveram em ação. A carateca Valéria Kumizaki disputou a etapa da Premier League de Karatê, realizada em Lisboa, enquanto a velocista Rosângela Santos fez parte da equipe do Brasil no Mundial de Revezamentos, que aconteceu na cidade de Chorzow, na Polônia.

Na sexta-feira (30), Valéria Kumizaki entrou como uma das cabeças de chave da etapa válida pela Premier League de Lisboa, última competição que contava pontos para classificação via ranking olímpico. Após folgar na primeira rodada, a brasileira, que compete na categoria até 55 kg, derrotou a chilena Aros Astudillo por 4 a 0 em seu primeiro combate no torneio. Na fase seguinte, contudo, ela acabou superada pela italiana Anita Pazzaglia por 8 a 3. Como a rival não conseguiu avançar até as finais, Valéria não teve a oportunidade de disputar a repescagem e encerrou sua participação.

Agora, a carateca do Time Ajinomoto passa a intensificar sua preparação para disputar o Pré-Olímpico Mundial de Karatê, que acontecerá entre 11 e 13 de junho em Paris, na França.

No atletismo, a velocista Rosângela Santos esteve em ação neste sábado (1º), integrando a equipe do revezamento 4 x 100 metros, durante o Campeonato Mundial de Revezamentos em Chorzow, na Polônia. Na disputa de sua série, o time brasileiro venceu, com o tempo de 43s56, com a atleta do Time Ajinomoto fechando a prova. Mas pouco depois, o time acabou desclassificado por uma infração – uma das integrantes pisou na linha da raia, o que configura invasão. Agora, a equipe buscará sua vaga pelo ranking da World Athletics (Federação Internacional de Atletismo), que só será definido no final de junho.

“Perdemos para a gente mesmo por uma fatalidade. Peço desculpas para todos que torceram pela gente. Treinamos muito. Não foi erro de passagem, ninguém saiu antes”, disse Rosângela Santos após a prova, que ainda buscará nas próximas semanas alcançar o índice exigido para os 100 metros (11s15), em competições previstas no calendário internacional da World Athletics.

você está sendo
Redirecionado
Para um link fora de
ajinomoto.com.br

X