Sustentabilidade

A Ajinomoto do Brasil tem compromisso com o meio ambiente e a busca da sustentabilidade em todas as suas áreas de atuação. Todas as unidades da Ajinomoto no mundo estão focadas em torno de um esforço comum: reduzir ao máximo os impactos em seus processos.

Para nortear esses esforços, as unidades seguem o plano de Emissão Zero AGZEP (Ajinomoto Group Zero Emissions Plan), elaborado pela matriz no Japão e disseminado para todos os países onde a Ajinomoto possui plantas e atividades produtivas.

O Plano de Emissão Zero é estabelecido para garantir o atingimento das metas globais e a redução das emissões e dos impactos ambientais. Ele traz parâmetros e critérios altamente restritivos quanto a emissões, superando em muitos casos as legislações ambientais vigentes.

Todo processo de produção exige a captação de recursos como água, insumos e energia que geram efluentes, resíduos sólidos e emissões atmosféricas que, se não forem tratados, podem causar impactos ambientais significativos. O grande desafio das unidades da Ajinomoto está no uso mais eficiente dos recursos e, consequentemente, na redução da geração dos resíduos.

Veja alguns indicadores que mostram como o trabalho das unidades traz resultados na redução dos impactos ambientais.

Emissão de CO2

Meta de redução: 20% (ano base 2005) até março 2017
Resultado até dezembro 2015: reduzido 58%
Meta superada principalmente pela instalação de Caldeiras de Biomassa nas plantas de Laranjal Paulista e Pederneiras, que suprem em mais de 80% as demandas dos processos com um custo menor que o dos combustíveis fósseis e reduzem em praticamente zero a emissão de CO², um dos componentes dos gases de efeito estufa. Destacamos que a planta de Limeira está em processo de instalação da Caldeira de Biomassa, que ajudará a melhorar ainda mais o resultado. Já Valparaíso utiliza o vapor de biomassa fornecido por um terceiro desde sua inauguração.

Consumo de água

Meta de redução: 30% (ano base 2005) até março 2017
Resultado até dezembro 2015: reduzido 69%
Este indicador considera o consumo de água geral da empresa. Aqui ainda temos um desafio. Apesar da Ajinomoto do Brasil como um todo ter atingido a meta, existem unidades isoladas que ainda não chegaram ao objetivo desejado.

Confira o site e veja dados de consumo e preservação de água da Ajinomoto no mundo: goo.gl/Qrbo1g.

Geração de água residual do processo

Meta de redução: 30% (ano base 2005) até março 2017
Resultado até dezembro 2015: reduzido 68%
Atingimos a meta e muito já foi feito, como o reuso em várias etapas dos processos produtivos, mas ainda há muito a fazer. Assim como o indicador de consumo de água, considerando a soma de todas as unidades, ultrapassamos a meta. Entretanto, algumas plantas produtivas ainda não a atingiram.

Nas plantas onde há captação de água do rio, após sua utilização, a descartamos com a pureza e a qualidade melhores do que a da água captada.

Reciclagem

Meta: 92%
Resultado até dezembro 2015: 76%
Algumas unidades estão atingindo a meta, mas, em termos de reciclagem de resíduos sólidos, ainda existe um bom caminho a percorrer. Ações inovadoras e de conscientização serão a solução para atingir esse desafio.

Co-produto

Meta: transformar 100% do subproduto em fertilizante.
Meta atingida. 100% dos subprodutos são transformados em fertilizantes, o que diminui os impactos ao meio ambiente e adiciona valor ao processo da Ajinomoto do Brasil. Além disso, o uso de fertilizantes com aminoácidos em sua composição melhora a qualidade dos produtos agrícolas, com frutos mais doces e com melhor aspecto, facilitando a comercialização e gerando mais renda ao produtor, reforçando o conceito de valor compartilhado adotado pela Ajinomoto.